L7m – Street-artist Brasileiro vídeo portrait

Em Paris, meses atrás, eu conheci o trabalho do artista L7m via internet. Fiquei encantada com seus traços fortes, mas ao mesmo tempo delicados e coloridos, quando descobri que L7m é brasileiro. Na ocasião, o contatei e sugeri fazermos uma entrevista via Skype, que ainda não havia acontecido.

Neste momento, estou no meu grande e abençoado Brasil de 180 milhões de habitantes. No dia em que aterrissei, após uma visita à 2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura), em São Paulo, segui viagem para a minha cidade natal, Bauru, coração do estado de São Paulo.

Ao chegar à esquina da casa de minha mãe, em Bauru, eu fui recebida por um grafite de um rosto colorido, magnífico e envolvente. O universo revelou uma imensa surpresa pra mim e para L7m. Descobri que o artista que conheci pela internet ainda em Paris compartilha comigo a mesma cidade natal.

A distância de 11 mil km que nos separava nos colocou espontaneamente cara a cara. Uma coincidência incrível, que me permitiu entrevistá-lo pessoalmente em uma tarde ensolarada, visitando inúmeros grafites nos muros da cidade, incluindo lugares abandonados.

Tamanha foi a magnitude de sua história, da pixação à street art, que a ideia de produzir um vídeo sobre seu trabalho era inevitável. Apresentei a ideia ao meu irmão Marcos Hinke e minha cunhada Jaqueline Souza, ambos cineastas, e nos munimos de equipamentos e ideias para realizar este projeto.

L7m começou a pintar desde criança. Aos 13 anos ganhou da prefeitura local o prêmio Pequeno Cidadão, uma competição artística entre todas as escolas municipais. Aos 16 anos, um primo de São Paulo o apresentou à pixação. Hoje com 24 anos, o grafiteiro autodidata, também adepto da “urbex”, uma prática de intervenções artísticas em lugares abandonados, enfrentou o preconceito e já participou de exibições coletivas na Alemanha, Portugal, Israel e Chile.

Em uma fábrica abandonada, o nosso cenário real para a o vídeo, L7m pintou dez paredes durante um ano e meio. Em uma sexta-feira, véspera de Carnaval, passamos o dia todo nesse mausoléu.

Um lugar sem janelas, sem portas, com infiltrações no teto, entulhos espalhados, ventiladores fragmentados, casa dos “noias” que passavam a todo momento para fumar crack. Chovia, havia goteiras para todos os lados. Era sujo, muito sujo. Mas ironicamente, aquele lugar, somado à performance artística de L7m, transmitia uma paz avassaladora.

L7m, um artista brasileiro que vem encantando o mundo com sua série de pássaros e rostos, obras obscuras e poéticas ao mesmo tempo, revela neste vídeo seu protesto contra a alienação da mídia e a sociedade capitalista, alertando a população para a necessidade de uma revolta organizada.

Esperamos que você goste!

 

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m on the corner of my Mom´s house.

L7m na esquina da casa de minha mãe

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

L7m

Marcos Hinke filming L7m

Marcos Hinke filmando L7m

Jaqueline Souza filming L7m

Jaqueline Souza filmando L7m

L7m

L7m

L7m

L7m